NOTÍCIAS




Chefe da Casa Civil garante, através do titular da Sesed, que receberá representantes dos policiais civis e servidores do Itep Em mais uma demonstração de disposição para negociação, os policiais civis e servidores do Itep saíram da frente da Governadoria, no Centro Administrativo, onde estavam desde o inicio da manhã, já no início desta tarde. O desmonte de acampamento ocorreu diante de novo compromisso do secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Aldair da Rocha, de que o Governo apresentaria propostas para as categorias. O gestor garantiu que o chefe da Casa Civil, Carlos Augusto Rosado, os receberia às 16h de amanhã (17). Esse compromisso, aliás, foi fator determinante para os grevistas aprovarem a retirada do local, dando mais uma vez crédito à administração, visto que contraditoriamente o Estado que vem declarando que quer negociar adotou medidas intimidatórias desde o início desta segunda. Além de fechar os portões do Centro Administrativo, com a presença de policiais militares da Rocam e BP Choque, tentando impedir, a princípio, a entrada dos grevistas, e em seguida impossibilitando a chegada de mesas e cadeiras para que os servidores se acomodassem à espera de resposta do poder executivo, a gestão emitiu também nota em que ameaça não apenas com corte de ponto, mas abertura de processo administrativo de abandono de cargos. "Esperamos que o Governo reconheça nossa atitude e sente conosco amanhã realmente trazendo propostas passíveis de análise. Destacamos à opinião pública que além de termos apresentado uma pauta flexibilizada na segunda, discutimos tais pontos com a Sesed na quinta, que nos garantiu que pautas eram exequiveis e ficou de nos retornar o posicionamento do Governo desde aquele dia, não fazendo até este momento. Nós não estamos, em momento algum, sendo intransigentes. Pelo contrário: cedemos muito e queremos a resposta que o Governo mais uma vez prometeu e não cumpriu", diz a diretoria. E conclui ainda dizendo: "Aproveitamos o momento para reforçar o compromisso dos policiais civis e servidores do Itep em continuarem lutando pelo resgate da Segurança Pública. Não é corte de ponte, nem ameaças infundadas de demissão, com retaliações, que a greve vai acabar. Isso só acontecerá quando o Governo respeitar a sociedade oferecendo as condições mínimas para uma segurança pública de qualidade e aos servidores uma proposta digna de aceitação".





Comentários