NOTÍCIAS




Equipe é uma das principais forças do país árabe e se prepara para a Liga dos Campeões do Golfo O atacante potiguar Paulo Júnior tem uma nova equipe para a temporada 2013-2014. Trata-se do Al-Nahda, do Omã, país localizado no Oriente Médio. Trata-se de um clube jovem, com apenas dez anos de existência, mas esse tempo já foi suficiente para transformá-lo em uma das potências do futebol omani. Desde 2008, o Al-Nahda vem participando com frequência das competições internacionais asiáticas. Atual vice-campeão da Sultan Cup e quarto colocado na Liga Nacional, o clube irá disputar novamente da Liga dos Campeões do Golfo (GCC Champions League) na atual temporada, assim como aconteceu em 2012-2013. A competição do Golfo Pérsico reúne dois representantes do Omã, Bahrain, Arábia Saudita, Emirados Árabes, Catar e Kuwait. Já apresentado ao novo clube, Paulo Júnior sentiu justamente o clima de cobrança por uma primeira conquista internacional na nova casa. Com dois títulos nacionais, o Al-Nahda tem como melhor participação fora do Omã a disputa da semifinal da Liga dos Campeões da Ásia em 2008 e, por isso, a diretoria investiu forte em jogadores que mostram potencial para levar o clube a conquista de um título internacional e Paulo foi um dos escolhidos. “Trata-se de um clube de uma cidade pequena, chamada Niwza, que fica ao Norte do Omã, muito próximo dos Emirados Árabes, onde joguei por cinco temporadas. O clube movimenta bastante a cidade, porque em pouco tempo se transformou em uma força do futebol nacional e que não teme as equipes de cidades maiores. Já entendi que em dez anos de existência, o clube se firmou como uma potência omani, mas agora quer viver uma nova etapa e mostrar que é forte também a nível internacional. Espero contribuir nesse projeto”, comentou Paulo Júnior. O atacante vem em crescente na carreira. Na temporada 2011-2012, Paulo conquistou o acesso e foi um dos artilheiros da Divisão 1 dos Emirados Árabes, pelo Dibba Fujairah, depois se transferiu para a Liga da Coréia do Sul, onde ajudou a equipe do Incheon em surpreendente campanha na K-League. Por último, marcou 10 gols em 13 jogos pelo Fujairah Club, dos Emirados Árabes, na Divisão 1 do futebol local. Dessa forma, surgiram propostas de países como Bahrain, Emirados Árabes e Omã, assim como equipes das Séries B, C e D do Campeonato Brasileiro fizeram convites ao artilheiro. O clube de melhor estrutura e investimento entre os que sondaram o jogador é realmente o Al-Nahda, porém ele analisou com calma por se tratar de um país bastante conservador, até mesmo em relação aos estrangeiros, diferente dos Emirados Árabes, onde se tem maior abertura nos hábitos islâmicos para quem não é local. Porém, ele acredita que vai conseguir se adaptar tranquilamente ao seu novo clube, até por ser próximo ao emirado de Fujairah, no qual ele jogou em todas as passagens pelos Emirados. “O fato de ser interior sempre é mais fechado para o estrangeiro, isso em qualquer país e lá nos Emirados Árabes as equipes que joguei sempre foi do emirado de Fujairah, que também é interior e fica a 200 quilômetros de Niwza, onde estou agora. Pesquisei, conversei bastante com a minha esposa e as pessoas que me aconselham e acredito que fiz a escolha correta. É um clube que me recebeu muito bem, tem estrutura e a visibilidade de uma Liga dos Campeões do Golfo, que será uma competição inédita para mim”, destacou o atacante.





Comentários