NOTÍCIAS




A Universidade é construída pelo trabalho de seus professores e técnicos administrativos, portanto é indispensável que se discuta a valorização desses dois segmentos. Uma das propostas de Ana Dantas e Gláucia Russo é a definição de uma política de fixação desses profissionais. “A implantação de um novo Plano de Cargos, Carreiras e Salários, formado democraticamente, a partir da discussão com os servidores e suas entidades representativas, está entre as nossas prioridades. Nós também defendemos a melhoria das condições de trabalho em todos os segmentos, dando atenção particularmente ao caso dos vigilantes e motoristas, que atuam em situações de risco e precisam ter a segurança garantida”, explica Ana Dantas. A professora Gláucia Russo conhece de perto os anseios dos técnicos administrativos, visto que ela mesma ingressou na UERN nesta função. “Uma de nossas propostas é pela ampliação e a manutenção dos benefícios sociais oferecidos aos nossos servidores, algo que não é reconhecido pela atual gestão. Além disso, nós vemos a necessidade de se implantar uma política de capacitação para os nossos técnicos, para que os mesmos tenham a oportunidade de crescer dentro da instituição”. Uma das apoiadoras da chapa “UERN que Queremos” é Arilúcia Freire, técnica administrativa há mais de 30 anos e atualmente lotada na Secretaria da FANAT. Após analisar as propostas de todos os candidatos, ela justifica sua opção: “Eu apoio Ana Dantas e Gláucia Russo pela história que ambas têm de empenho nas lutas pela Universidade, incluindo a defesa do voto paritário, dando igualdade aos três segmentos. Precisamos eleger uma gestão que defenda os interesses da comunidade acadêmica, e não os interesses políticos. Agora é a hora de refletir sobre o que queremos para nós e para a Universidade como um todo. Vamos mandar nosso recado através do nosso voto e mudar a realidade da UERN", convoca a servidora.





Comentários