NOTÍCIAS




Do Portal G1 Rio Grande do Norte O prefeito de Natal, Carlos Eduardo, tenta decretar moratória de um ano para o Município junto aos Tribunais de Justiça e de Justiça do Trabalho, além do Ministérios Públicos Estadual e Federal. O chefe do Executivo disse que não há como gerir a capital potiguar se não receber o perdão dos encargos legais e sem parcelar as dívidas. O prefeito esteve no Bom Dia RN desta segunda-feira (14) e afirmou que precisa de verba para dar prosseguimento às atividades que pretende desenvolver na cidade. "Não há como trabalhar com a verba sendo confiscada pela Justiça", reclamou. Carlos Eduardo revelou que o Município deve R$ 6 milhões ao Ministério da Educação, dinheiro referente ao pagamento da merenda escolar. "Se não conseguirmos pagar esse débito, o ano letivo não começa, e para isso precisamos da moratória", disse o prefeito. Carlos Eduardo falou na entrevista que depois de iniciar a limpeza das ruas e o recapeamento asfáltico de Natal, as ações da Prefeitura estão voltadas para a reconstrução do calçadão da praia de Ponta Negra. O prefeito também afirmou que, depois da recuperação do passeio - o que deve ocorrer nos próximos 20 dias -, o Município dará início à reurbanização da capital, de Ponta Negra à praia da Redinha, passando pelas praias da zona Leste. Obras da Copa Ainda segundo falou o prefeito, será dado início às obras de mobilidade urbana para a Copa do Mundo de 2014 até o mês de maio deste ano. Carlos Eduardo confirmou que os contratos para as obras foram assinados sob efeito de liminar junto à Justiça, e que houve uma reunião com os secretários das pastas envolvidas e a Caixa Econômica Federal para viabilizar os projetos. São R$ 800 milhões para a adequação da cidade para o recebimento do mundial de clubes e melhoria da qualidade de vida da população da capital. "As outras capitais estão se preparando e Natal está com mais de dois anos de atraso", disse Carlos Eduardo.





Comentários