NOTÍCIAS




O prefeito de Natal, Álvaro Dias, participou na tarde de quarta-feira (24) de agenda ao lado do Ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. O encontro contou com visita à obra de extensão da linha férrea que liga a região metropolitana de Natal. Na ocasião, também acompanhou a assinatura da ordem de serviço para elaboração do Projeto Seridó, a subscrição do Termo de Execução Descentralizada (TED) para estudos de revitalização da Lagoa do Bonfim e o lançamento da pedra fundamental das obras da Linha Branca do Sistema de Transporte de Passageiros sobre os trilhos da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU).

De acordo com Álvaro Dias, a obra de extensão da linha de trem irá trazer muitos benefícios para a população. "São inúmeros benefícios. A começar, pelo barateamento do preço da passagem de Parnamirim-Natal e Natal-Parnamirim, que custava em torno de R$6,00, deverá diminuir consideravelmente, e o cidadão poderá fazer o seu deslocamento por um valor bem menor. Vamos pleitear junto ao Ministro, a ampliação das linhas férreas no perímetro urbano e fazer uma integração entre o transporte coletivo e o trem urbano", explica.


A Pedra fundamental da Linha Branca da CBTU deverá expandir a Linha Azul. Com os investimentos do Governo federal, serão implantados 24 KM de via e quatro estações de controle. Segundo o Ministro Rogério Marinho, trata-se de uma obra com a maior malha terrestre de trens urbanos do Nordeste. A previsão é de que mais de 6 mil passageiros sejam contemplados, além de fomentar o turismo local.

"Com esta obra estamos garantindo a segurança, fluidez e a economia no transporte público para a região. Os investimentos fazem parte do processo de modernização e ampliação do sistema de trens urbanos de Natal. Esse ato que fazemos hoje, responde a uma reivindicação da população, que vai conseguir se locomover com conforto para o trabalho e para as suas casas. Há mais de 10 anos não havia investimento em novas linhas, apesar de todas as necessidades e demandas apresentadas", afirma o Ministro Rogério Marinho.





Comentários