NOTÍCIAS




 

Dando sequência às discussões sobre a implantação do Parque Científico e Tecnológico do Rio Grande do Norte (PCTRN), aconteceu nesta terça-feira (10) na sede do Governo Cidadão, uma reunião para discutir pontos importantes da instalação deste equipamento, a partir de planejamento elaborado pela UFRN. Foram analisados desde os custos da implementação àqueles que darão sustentabilidade no pós-construção, além de definidos encaminhamentos para promover a viabilidade econômica do parque. O Governo do RN vai investir R$ 8 milhões neste projeto, com recursos do acordo de empréstimo com o Banco Mundial.

 

Participaram do encontro, o secretário de Gestão de Projetos e Metas do Governo do RN, Fernando Mineiro, o reitor da UFRN, José Daniel Melo; a ex-reitora, professora Ângela Paiva; o secretário de Desenvolvimento Econômico do RN (Sedec RN), Jaime Calado; o assessor técnico da Sedec, Pedro Albuquerque; representantes de entes importantes como Fundação de Apoio à Pesquisa (Fapern); Federação do Comércio de Bens Serviços e Turismo do RN (Fecomércio); Federação das Indústrias do Estado do RN (Fiern); Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae); de universidades como a Federal do Semiárido (Ufersa) e Estadual do RN (Uern), além de prefeituras como a do Natal e Macaíba, que estão trabalhando em prol dessa construção.

 

Na ocasião, a professora Ângela, que está à frente da coordenação do processo de implementação do Parque, apresentou os resultados referentes aos estudo de viabilidade do mesmo, desde a parte técnica até a econômico-financeira, expondo os investimentos realizados, bem como as previsões daqueles que ainda serão necessários. Também foram pontuadas as projeções de receitas para futura sustentabilidade e os custos operacionais.

 

"Saímos dessa reunião com o dever de casa de buscar novos parceiros, sejam eles do Setor Produtivo, como o Sistema S, de outras prefeituras ao longo de todo Estado, e do empresariado, seja daqui do RN, do Brasil ou de outros países. O importante é mostrar que temos aqui um instrumento de desenvolvimento de soluções avançadas nos setores de Energia, Saúde e Tecnologia da Informação e que os mesmos podem nos apoiar nesta empreitada", finalizou Mineiro, pontuando que após o cumprimento dos encaminhamentos, o projeto de viabilidade econômica deve ser apresentado ao Banco Mundial, para que a instituição financeira sinalize a possibilidade ou não de implementação do parque.

 

Parque Científico e Tecnológico do Rio Grande do Norte

O PCTRN funcionará em terreno de 100 hectares, disponibilizado pela UFRN no município de Macaíba. Disporá de uma estrutura com 15 mil metros quadrados de área construída, destinada originalmente ao Instituto Internacional de Neurociências Edmond e Lily Safra (IINELS) e ao Instituto Santos Dumont (ISD), dirigidos pelo pesquisador Miguel Nicolélis.

 

A parceria para viabilizar o PCTRN envolve o Governo do Estado, por meio do Governo Cidadão, Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec), Universidade Estadual do RN (UERN) e Fundação de Apoio à Pesquisa (Fapern); Universidade Federal do RN (UFRN); Universidade Federal do Semiárido (Ufersa), Instituto Santos Dumont (ISD); Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-RN); Instituto Federal de Ciência e Tecnologia (IFRN); e Federação das Indústrias do Estado do RN (Fiern).

 

Apesar de ter sido planejado em 2014, o PCTRN não avançou em sua execução. Na gestão passada chegou a ser apresentado para inclusão no Projeto Governo Cidadão, mas foi rechaçado por inadequação: era um projeto de instituições, e não de Estado. Em reuniões com as instituições parceiras, em fevereiro e março passados, o secretário Mineiro, que também coordena do Governo Cidadão, pediu mudanças no projeto do parque, para enquadrá-lo nas regras do banco e, assim, mantê-lo no novo plano de aplicação do empréstimo.

Fotos: João Vital





Comentários