NOTÍCIAS






O primeiro voo internacional conquistado pelo Governo do RN após a desoneração do ICMS no querosene de aviação anunciou a abertura de vendas de passagem. A rota direta para Buenos Aires (Argentina) terá início em 4 de julho e regularidade semanal, sempre aos sábados.
Embora a Gol Linhas Aéreas tenha solicitado pedido de operação do voo à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) ainda em 18 de março, a oficialização da rota foi feita nesta quarta-feira (29) com o anúncio das passagens à venda, no site da companhia.
"Tenho me empenhado pessoalmente em promover um novo momento para o Turismo do nosso estado, por ser um dos principais caminhos para o crescimento econômico e a geração de divisas, além de se tratar da vocação natural do Rio Grande do Norte. O voo Natal-Buenos Aires irá inserir o RN entre os principais destinos dos argentinos", comemorou o governador Robinson Faria.
Para o secretário estadual de Turismo, Ruy Gaspar, "essa notícia mostra o resultado da eficácia do governador do turismo, Robinson Faria, em desonerar o QAV e buscar a negociação direta com as companhias aéreas já no primeiro mês de sua gestão".
O secretário ressaltou ainda que este é apenas o primeiro de outros que virão. Há ainda excelentes perspectivas para voos internacionais diretos para Santiago (Chile), Bogotá (Colômbia), Milão e Roma (Itália), Estocolmo (Suécia) e Frankfurt (Alemanha).
Com o voo direto para Buenos Aires, a economia de tempo passa a ser entre sete e treze horas. A duração do voo será de 5h40, saindo às 23h55 do Aeroporto Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, para o Aeroporto de Ezeiza, na capital da Argentina.
Para a volta, a Gol tem disponível um voo de Buenos Aires para o RN no mesmo dia, saindo às 23h55 da Argentina e com chegada às 5h05 em solo potiguar. Se o cliente preferir outros dias da semana, a conexão é feita em Guarulhos (SP).
Com a nova frequência, o Rio Grande do Norte é o terceiro destino do Nordeste a ter voos diretos para Buenos Aires. As outras duas capitais são Salvador e Fortaleza, esta última disputa com Natal e Recife a sede de um hub da Lantam - um investimento de mais de R$ 7 bilhões.





Comentários